De Montreal a Nova Iorque de trem

Dizem que a viagem de trem entre Montreal (Canadá) e Nova Iorque (EUA) é uma das mais bonitas do mundo. Curioso? Quer saber como é a experiência? A gente conta para você.

esqueci de tirar foto do trem, mas era meio parecido com esse

esqueci de tirar foto do trem, mas era meio parecido com esse

Cheguei na estação de trem às 8:30 sem saber direito o que esperar. O trem estava confirmado para as 9:30, e o sinal luminoso dizia que o embarque começaria às 9:00. Tudo muito diferente das minhas experiências anteriores com trens europeus. Ao redor da escada que levava à plataforma, as pessoas formavam uma espécie de fila.

Nesse mesmo espaço, muitas balanças e um aviso dizendo que só embarcariam malas até 40 pounds. Pesei a minha e deu 50 pounds. Comecei a tirar coisas da mala, vestir casacos extras e passar coisas para a mochila. Ainda ficou com 44. Antes de bater o desespero, olhei para minha passagem e lá dizia que os passageiros tem direito a duas malas de 50 pounds. Então resolvi ir perguntar no balcão de informações, e a moça disse que pode levar o que quiser, sem problema. Ufa! Problema resolvido. Coloquei os casacos de volta na mala!

Às 9hs, chegou um pessoal para organizar o embarque. Mandaram formar uma fila em outro lugar, depois entregaram os papéis da alfandega. Quando chegamos no trem, outro guardinha perguntava para onde estávamos indo e indicava o vagão correto.

O trem saiu pontualmente às 9:30 da manhã. Os bancos são super-espaçosos e confortáveis. Tem tomada para todo mundo. Mas o wifi prometido só funcionava no vagão da lanchonete. Só que já tinham me dito que a comida do trem é muito ruim, então eu levei meu próprio lanche. Afinal, o dia ia ser comprido! Conclusão: fiquei sem internet.

O caminho todo tem muito disso

O caminho todo tem muito disso

As primeiras duas horas de viagem são dentro do Canadá. O trem vai andando super lentamente e para muitas vezes. A paisagem é só plantações, nada de muito interessante. Até que o trem para novamente e demora mais que o normal. Depois se descobre que é a divisa com os Estados Unidos, e os agentes da alfândega entram no trem para verificar a documentação dos passageiros. Eles passam pelos assentos conferindo os passaportes e se você precisar de carimbo (como todo passaporte brasileiro precisa), te mandam para o vagão da lanchonete, onde tem outros agentes que te fazem preencher um segundo documento e pagar seis doláres. Não entendi o porquê dessa taxa (afinal ela não existe nos aeroportos), mas não discuti. O processo foi tranquilo, sem grandes problemas, só muita demora.

O trem continuou a viagem cerca de uma hora depois. Às vezes, parece que vai pegar o jeito e andar mais rápido, mas é só impressão mesmo. A viagem, que teoricamente é uma das viagens de trem mais bonitas do mundo, não oferece muito. Se possível, escolha o lado da esquerda do trem. Primeiro porque é o lado da sombra e segundo porque é onde está o rio e as melhores paisagens… Claro que quando descobri, troquei de lugar.

...e disso também

…e disso também

Depois da troca, a tão prometida internet começa a dar sinais de vida. Descobri que é porque só funciona em alguns trechos e alguns vagões. Minha mudança me colocou mais perto do vagão da lanchonete (que é o único com internet garantida). Também foi depois da divisa. Aparentemente, antes de sair do Canadá, não tem nem chance. Vale lembrar que streaming de video e audio é bloqueado.

A comida da lanchonete é wraps e batata frita industrializada. Já me disseram que o wrap é ruim e a cara não é essas coisas todas, então estou muito feliz almoçando minha salada comprada no supermercado em Montreal. E o banheiro? Descente. Parecido com de avião, só que mais espaçoso.

A viagem foi no inverno, então depois das 17hs já estava tudo escuro. O que quer que fosse o cenário do outro lado da janela eu não vi. O trem chegou em Nova Iorque dez minutos antes do horário previsto. Ou seja: 8:30 da noite. Depois de 11 horas de viagem, qualquer um está exausto.

Noves fora: vale a pena? Bem, o preço é imbatível. Se você tiver tempo sobrando, ou precisar tirar um dia para trabalhar (mas não dependa de internet), eu recomendo. Mas se você estiver turistando e com pouco tempo, é muito tempo de viagem para uma distância tão pequena.

Se você está de malas prontas para fazer essa viagem, nós também já demos dicas sobre o que fazer em um fim de semana em Montreal, e outros destinos no Canadá. Também temos artigos sobre Nova Iorque (incluindo o TOP 10 de coisas de graça em NY e outras cidades nos Estados Unidos. Não deixe de conferir!

Continue organizando sua viagem:

- Encontre o hotel perfeito para a sua viagem
- Não corra riscos e contrate um seguro de viagem
- Ganhe tempo e garanta seu ingresso para algumas das atrações mais concorridas do seu destino
- Vai precisar de carro? Compare as empresas de aluguel de carro disponíveis no mercado

20 Comments

  1. Cibelle 15/07/2018
    • Louise 15/10/2018
  2. Barbara C. 07/07/2017
    • Louise 09/07/2017
  3. Annelise 07/07/2017
  4. Daniel alex Damazio 31/05/2017
    • SOSViagem 28/06/2017
  5. alessandra nogueira 16/05/2017
    • SOSViagem 29/06/2017
  6. saulo 18/01/2017
  7. Moises 23/03/2016
    • SOSViagem 23/03/2016
  8. Rafael Rossignol 08/12/2015
    • SOSViagem 08/12/2015
  9. Fernando 21/09/2015
    • SOSViagem 22/09/2015
  10. Guilherme 30/01/2015
  11. Rachel 16/06/2013

Leave a Reply

África Américas Ásia Europa Oceania
3x4 Austrália.
3×4 Austrália: Dicas de quatro blogueiros de viagem
Casa de Jorge Luís Borges.
Casa de Jorge Luís Borges: em busca do Aleph
Olinda, Pernambuco.
Olinda (PE): Teus coqueirais, o teu sol, o teu mar!
Guia de Paris: 10x10 Paris
Guia de Paris: 10×10 Paris
Guias de Viagem
Guias de viagem para inspirar e organizar sua próxima aventura
Mini Guia: Roma
Mini Guia: Roma
Mini Guia: Berlim
Mini Guia: Berlim
Compartilhar
Twittar
Pin
+1
WhatsApp
Email