Como evitar problemas com as empresas de aviação low-cost européias em 5 lições

Se sua passagem for assim, o problema não está descrito nesse post.

Se sua passagem for assim, o problema não está descrito nesse post.

Aqui no SOSViagem, nós somos fãs das empresas aéreas low-cost. Até já fizemos uma lista com nossas 5 companhias áereas baratas favoritas. Afinal, quem não curte achar uma passagem de Barcelona a Paris por 15 euros? Oba! Vamo embora! Muita calma nessa hora. Esse tipo de preço existe, sim, mas é necessário tomar alguns cuidados para não acabar caindo em uma enrascada… Ora, companhias low-cost usam de seus artifícios para poder manter o preço da passagem tão baixo. Então é preciso saber quais eles são, reconhecê-los na hora da compra, e ter certeza que eles não serão um problema para sua viagem depois.

Então, é seguinte: viu um preço de passagem irresistível? Ótimo. Mas antes de preencher as informações do seu cartão de crédito, responda as nossas cinco perguntas.

5. Você tem certeza que quer viajar nesse dia?
Remarcar uma passagem pode ser um pesadelo. Você tem que pagar um monte de taxas extras, geralmente até mais caras do que a sua passagem. Na maioria das vezes, é mais barato comprar uma passagem nova! Por isso, se programar direitinho é não só preciso como indispensável. Afinal, pagar essas taxas ou ter que comprar outra passagem não vai te ajudar a economizar dinheiro, o que é a maior razão para escolher uma dessas companhias.

Isso aqui não tem. As barrinhas de cereal da Gol e da TAM também não.

Isso aqui não tem. As barrinhas de cereal da Gol e da TAM também não.

4. Vai ficar com fome?
Se o vôo for muito curto, isso não costuma ser um problema, mas passar três ou mais horas em um avião sem ter nem água pode ser um problema! Essas companhias baratas costumam vender lanches com preços bem acima da média durante seus vôos. Se a idéia é diminuir gastos, sugerimos que você coma alguma coisa antes de embarcar ou leve alguma coisa para quebrar o galho na sua bagagem de mão.

3. Os aeroportos são viáveis?
Há algum tempo atrás, uma das empresas low-cost tinha um slogan interessante: a passagem é mais barata que o taxi para o aeroporto. Apesar do slogan não ser mais usado, a frase continua sendo verdadeira. Para gastar menos, as empresas costumam usar aeroportos secundários ou periféricos. Logo, se você está comprando uma passagem para Londres, dificilmente vai embarcar no Heathrow, que tem ligação direta com o centro da cidade por metrô normal. Às vezes, o aeroporto nem é na cidade ou no país que você quer visitar — já vi empresas vendendo Vienna (Austria) que desembarcavam em Bratislava (Eslováquia). Então, é necessário considerar: Qual é o aeroporto? E Quanto custa para chegar a esse aeroporto?

Muitas vezes existem ônibus expressos que ligam o aeroporto ao centro da cidade, mas nem sempre eles estão sincronizados com o horário do seu vôo, então também é preciso se perguntar: é possível chegar ao aeroporto duas horas antes do vôo? Afinal, muitas vezes os vôos estão programados para de manhã bem cedo, os ônibus não estão rodando ainda, e nem todo mundo está disposto a dormir no aeroporto.

As mesmas perguntas acima são válidas para o aeroporto de chegada, afinal você não quer visitar só o aeroporto, não é mesmo? Então, também é necessário entender: Qual é o aeroporto? Quanto custa para chegar a esse aeroporto? E, nesse caso, a terceira pergunta vira: é possível sair desse aeroporto no horário que você chega? Atenção principalmente a vôos mais tarde, que aterrisam depois das 21hs.

Não quero nem pensar quanto a RyanAir cobraria por essa quantidade de mala...

Não quero nem pensar quanto a RyanAir cobraria por essa quantidade de mala…

2. Você vai despachar bagagem?
As empresas low-cost não incluem mala no preço da sua passagem. É só uma bolsa de mão, e o peso permitido varia dependendo da companhia. Então, se você está pensando que vai despachar uma mala (ou mais de uma), inclua essa taxa nas suas contas.

1. Quanto essa viagem vai custar realmente?
Essas empresas geralmente só te dizem o preço da passagem, e só antes de você confirmar o pagamento é que te informam de extras, como taxas de aeroportos ou para passar cartões de crédito (que não sejam da própria empresa). Então, é sempre bom levar em consideração uma continha simples:

(passagem e taxas dos aeroportos + taxa para cartão de crédito + bagagem + 6.38% de IOF) + lanche + chegar no aeroporto1 + sair do aeroporto2

Depois de tudo isso ainda é viável e mais barato que uma empresa comum? Então vá em frente! Boa viagem!

Continue organizando sua viagem:

- Encontre o hotel perfeito para a sua viagem
- Não corra riscos e contrate um seguro de viagem
- Ganhe tempo e garanta seu ingresso para algumas das atrações mais concorridas do seu destino
- Vai precisar de carro? Compare as empresas de aluguel de carro disponíveis no mercado

Leave a Reply

África Américas Ásia Europa Oceania
3x4 Austrália.
3×4 Austrália: Dicas de quatro blogueiros de viagem
Casa de Jorge Luís Borges.
Casa de Jorge Luís Borges: em busca do Aleph
Olinda, Pernambuco.
Olinda (PE): Teus coqueirais, o teu sol, o teu mar!
Guia de Paris: 10x10 Paris
Guia de Paris: 10×10 Paris
Guias de Viagem
Guias de viagem para inspirar e organizar sua próxima aventura
Mini Guia: Roma
Mini Guia: Roma
Mini Guia: Berlim
Mini Guia: Berlim
Compartilhar
Twittar
Pin
+1
WhatsApp
Email