Manaus: Encontro das águas, encontro com a natureza

Quando se fala em Manaus, já pensamos logo em natureza: a Floresta Amazônica e o Rio Amazonas tomam conta de nossa imaginação. Por isso que um dos passeios que eu fazia questão de fazer na minha viagem para Manaus era ver o encontro das águas do Rio Negro com o Rio Solimões. A empresa Amazing Tours me convidou para fazer o passeio com eles e não tive dúvidas: aproveitei a oportunidade. Não poderia ter escolhido forma melhor de começar minha viagem.

Encontro das águas, encontro com a natureza

O passeio começa às 9 da manhã no Porto de Manaus. O guia super-simpático, se alternando entre português, inglês e espanhol, acomodou o grupo em uma lancha rápida bem equipada, e seguimos viagem pelo rio. O passeio conta com cinco paradas durante o dia.

Primeira parada: Encontro das águas

Não demorou muito, e já demos de cara com o tão misterioso encontro das águas. É incrível como os rios realmente não se misturam. O guia explicou que é principalmente por causa da diferença na densidade das águas dos rios. Qualquer que seja a razão, é impressionante!

Segunda parada: Pirarucu

A próxima parada foi para ver o Pirarucu, um dos peixes-símbolos do Amazonas. Paramos em uma construção flutuante. Alguns exemplares considerados pequenos (mas que já me pareceram bem grandes) ficam em um grande tanque. Quando o guia joga alguma comida, os peixes pulam ferozmente. Há também um segundo tanque onde se pode pagar para “pescar” um pirarucu só para sentir a força do bichinho. Mas claro, depois se devolve o peixe à água. No mesmo espaço, há ainda uma feirinha de artesanato típica.

Terceira parada: Vitória Régia

Seguimos navegando pelo rio. O guia explicou que, na próxima parada, iríamos fazer uma curta caminhada pela mata e que provavelmente durante o percurso encontraríamos moradores com animais exóticos, como cobra e bicho-preguiça, para oferecer aos turistas a possibilidade de tirar fotos. Quem se interessar, deve negociar valores com o dono do animal. No entanto, essa é uma prática que vem sendo bem combatida ultimamente, principalmente por instituições de defesa do animal, já que sua maioria, esses bichos são mantidos em cativeiro em situações não-favoráreis. O guia deixou claro que ele e a empresa são contra tal prática. Só vimos uma pessoa com um bicho-preguiça perto de uma barraquinha de artesanato, mas não demos atenção.

Na nossa curta caminhada pela floresta, vimos algumas árvores enormes e uma outra que parecia uma árvore mas não era. Era oca. O guia explicou que na verdade era um parasita que encobria a árvore. Ele cresceu e se multiplicou tanto que matou sua hospedeira. No final da caminhada, encontramos ainda uma vitória-régia, o ponto alto da parada.

Vitória régia

Ainda nessa parada, almoçamos em um restaurante flutuante, que nos ofereceu um buffet farto incluindo vários pratos regionais, como pirarucu e tucupi. A comida era muito gostosa e farta: podíamos nos servir quantas vezes quiséssemos!

Quarta parada: Boto-rosa

Depois do almoço caprichado, seguimos viagem na lancha até a próxima parada, muito aguardada por grande parte do grupo. Era hora de nadar com os botos!

Na plataforma flutuante, recebemos várias instruções de conduta, como não levantar as mãos para fora da água e não bater os pés na água. Também não era permitido usar protetor solar ou cremes de bronzear. Depois fomos naturalmente divididos em grupos de aproximadamente 15 turistas. Cada grupo teve a oportunidade de entrar na água enquanto um guia treinado atraia um boto para o centro do grupo. Todos queriam tocar nos animais e sentir a pele lisinha. Mas confesso que a minha impressão foi que os botos não são particularmente brincalhões. Eles se aproximam procurando comida e desaparecem assim que conseguem seu objetivo, não se importando muito com o que está a sua volta. Isso foi um pouquinho frustrante para algumas das crianças que estavam realizando o passeio com o nosso grupo.

Boto cor-de-rosa

Quinta parada: Tribo de Índios

Para finalizar o passeio, realizamos a última parada, desta vez em terra firme, para conhecer uma tribo de índios. Fomos muito bem recebidos por um dos líderes da tribo (fico com receio de chamar de pajé pois não conheço a hierarquia exata), que nos contou um pouco sobre a tribo em sua própria língua e em português. Ele falou sobre os rituais, as danças e os instrumentos e uma parte da tribo fez uma demonstração para nosso grupo, e, no final, nos convidou a participar. O nosso guia teve o cuidado de fazer um resumo em espanhol e inglês enquanto ainda estávamos na lancha, para não atrapalhar a apresentação. Depois da dança, havia a oportunidade de provar alguns de seus alimentos típicos, incluindo formiga assada (!) e adquirir artesanatos feitos no local.

Foi um belo final para um belo dia.

Encontro das águas: Tribo de Índios

Valeu a pena?

De forma geral, o passeio valeu muito a pena, sim. As cinco atrações que foram visitadas estão entre os passeios que a maioria dos turistas mais tem curiosidade de fazer em uma viagem para Manaus. E, com certeza, foi o dia mais memorável dessas férias.

Claro que esse tipo de passeio rende muitas conversas. É uma daquelas viagens que atraem muita atenção e curiosidade pelo mundo inteiro, e consigo facilmente imaginar algum novo amigo me perguntando como é visitar uma tribo de índios na Floresta Amazônica. Por outro lado, também consigo imaginar as conversas difícieis com pessoas que se preocupam com o bem estar dos animais envolvidos no passeio e até dos próprios índios. Por isso, na minha opinião, para realizar esse tipo de passeio, é importante contar com guias especializados e uma empresa comprometida e a Amazing Tours preenche esses requisitos com louvor. A preocupação de todos os envolvidos com a conservação do ambiental fica claro desde o princípio e é demonstrada para nós, turistas, de forma exemplar, de forma que possamos aproveitar o passeio, nos divertir e também refletir.

Com certeza, recomendamos o passeio. Ele pode ser conhecido como o “Encontro das águas”, mas, para nós, foi um verdadeiro re-encontro com a natureza.

Encontro das águas, Reencontro com a natureza

Entre em contato com a Amazing Tours:
Site: site
Telefone: (92) 41019081 / (92) 991867133 (WhatsApp)
E-mail: leonardo@amazingtours.com.br

Continue organizando sua viagem:

- Encontre o hotel perfeito para a sua viagem
- Não corra riscos e contrate um seguro de viagem
- Ganhe tempo e garanta seu ingresso para algumas das atrações mais concorridas do seu destino
- Vai precisar de carro? Compare as empresas de aluguel de carro disponíveis no mercado

Leave a Reply

África Américas Ásia Europa Oceania
Fundação José Saramago.
A Casa de Saramago, ou melhor: a casa que Saramago queria
Passeio no Rio Tejo, em Lisboa.
Lisboa vista do Tejo: passeio de barco em Lisboa
Doces Pecados.
Doces pecados: Os deliciosos doces de Portugal
Guia de Paris: 10x10 Paris
Guia de Paris: 10×10 Paris
Guias de Viagem
Guias de viagem para inspirar e organizar sua próxima aventura
Mini Guia: Roma
Mini Guia: Roma
Mini Guia: Berlim
Mini Guia: Berlim
Compartilhar
Twittar
Pin
+1
WhatsApp
Email